4.7.09

Preconceito é de Deus?

Estava lendo uma reportagem sobre o caso Munira e Adriana e fique abismada com os comentários das pessoas. Era tanto ódio, discriminação, agressividade! Fico pasma como as pessoas se apropriam do nome de Deus com tanta autoridade, parecem ter sido nomeadas pelo Próprio e afirmam decisões, leis, idéias e pensamentos com tanta convicção que me assusta. Os mais "formalmente religiosos" devem estar pensando que tudo isso o que eles dizem está na Bíblia, que eu deveria lê-la. Confesso que nunca li o livro de Deus de cabo a rabo, mas já li o bastante para me dar conta de que muito o que está escrito ali depende da maneira como nós o interpretamos.

Sem querer entrar em discussões religiosas mais profundas, no entanto, minha questão não é essa. O que me toca nesse caso, como em muitos outros, é o pré-conceito das pessoas, a arrogância de se achar dono de toda a verdade absoluta e inquestionável e imutável. Será que a verdade divina é realmente imutável? Será que tudo o que era considerado inaceitável há, por exemplo, 500, 1000 anos atrás, continua sendo inaceitável hoje em dia? Vocês não acham que como tudo evolui, o mundo, as pessoas, as idéias, também as noções de certo e errado devem evoluir? O que era considerado cobiça, por exemplo, naquela época, seria ainda visto exatamente pelos mesmos padrões? E os "novos pecados"? Sim , porque temos que concordar que o mundo moderno criou vários novos pecados, mas se eles não estão na Bíblia, não são pecados?

Bem, deve ter gente querendo me trucidar ao ler esse texto. Não tem problema. Não me considero nenhuma herege. Só interpreto as coisas de outra forma. Acho que tudo deve ser baseado no amor. Se o que você faz, a forma como você age é verdadeira, sincera e envolve amor pelo próximo - então você está agindo de acordo com o que Deus pediu. Faça ao próximo somente aquilo que você deseja para os seus e à você mesmo, se todos agíssemos assim, com essa "lei Divina" sempre em mente, acho que andaríamos mais próximos dEle.


*******************

Aqui os comentários absurdos e agressivos dos "porta-vozes divinos".

A reportagem que recebeu tantos insultors ( trata-se de um artigo de março)

A situação atual do caso. ( ao menos é o que eu achei de mais atual, se alguém tiver mais notícias a respeito, por favor, me mandem).

2 comentários:

Ivana Millán disse...

Aii, credo, tô passada com o que li nesse link da Época! =[
Deus deve ter muita raiva dos preconceituosos.. =[

(Na Bíblia, por exemplo, por um pequeno comentário de Miriam sobre a cor de pele de Zípora, mulher etíope de Moisés, Deus a tornou leprosa na hora. Quem dera essa lei valesse hoje pra certos alguéns...)

Dá pena e vergonha :(

Danyelle Santos disse...

Kátia, me dá muita raiva desse pessoalzinho que se diz tão cristão, paga discurso de pastor/padre (sei lá) e na hora do vamos ver (ajudar alguém, doar, ceder, colaborar, amar, não julgar, etc) acaba se revelando um cristão hipócrita! Na verdade, acho que o primeiro problema é achar que a Bíblia é um "código de regulamentos" e se você não segui-la a risca, vc é um pecador e vai pro inferno (dai-me paciência!). Desse jeito, as regras são impostas de um jeito prepotente e ofensivo e aqueles que ACHAM que seguem as leis de Deus (ninguém segue, na minha opinião!!!), se ACHAM melhores que os outros. Isso me dá nos nervos!!!