25.1.10

Corvardia...NÃO!

Pra tudo nessa vida há uma explicação, menos pra covardia. 

Não consigo conceber a covardia. Principalmente a feminina. 

Nós, mulheres, que recebemos a graça de dar a vida, de gerar, de trazer seres ao mundo, tarefa tão sublime, não podemos ser covardes. Temos poderes humanamente divinos, somos magnânimas, aguentamos as dores do parto ( seja normal ou cesáreo - pois não pense que este é completamente disprovido de dor!), suportamos menstrução todo mês, o incômodo e as cólicas (algumas ainda sofrem da dita TPM), nos equilibramos com maestria no salto alto (com todo o cuidado para não torcer o tornozelo nem estragar o salto nos buracos do caminho!), encaramos jornada dupla, tripla ou múltipla de peito aberto ( mãe, esposa, trabalhadora, dona de casa, psicóloga, enfermeira...), nos submetemos ao eterno desafio de continuarmos lindas, interessantes e sexy! ( Acredito que essa seja a mais dura de todas as tarefas, pois nosso oponente é poderoso e cruel: O Tempo!).

Uffa! Depois de tudo isso como entender a submissão à agressão e à humilhação masculina? Como pode ainda hoje existir mulheres que apanham caladas, que são agredidas, humilhadas e perdoam? Perdoam, perdoam e perdoam repetidas vezes, engolem seu orgulho, o amor-próprio em troca de quê? De ter a seu lado um homem? Um homem que as despreza...
Amor por outro, que não a Deus ou por seus filhos, que sobrepuja seu amor-próprio não pode ser do bem, como diz a sábia poetisa moderna Rita Lee, amor de verdade acrescenta, soma, engrandece, enquanto que esse tipo de sentimento destrói, diminui, degrada.
Não há desculpa para tanta submissão e humilhação - levante a cabeça, mulher! Encare seu futuro, seus filhos, sua vida de cabeça erguida, se olhe no espelho e tenha orgulho do que vê, se trancar em seu mundo e achar que lá fora ninguém é capaz de entender é tentar enganar a si mesma, você tem o dever de ser verdadeira ao menos consigo mesma, se conseguir encarar seus medos e covardias de frente, talvez perceba que há várias outras portas disponíveis pra você, basta CORAGEM para abri-las.


11 comentários:

Laly disse...

Adorei!! super apoiado!! escreveu com maestria um assunto muito delicado. é mesmo dificil entender as mulheres que se submetem a este tipo de coisa, e pior que isso independe da cor, postura, classe social!!!

bjs

Déia disse...

Clap Clap Clap...

Triste realidade!

bj

Ana Paula Ruggini Zarpelon disse...

Como sempre um excelente texto!
Graças a Deus nunca passei por uma situação desta, mas acho inconcebível uma mãe deixar que a violência que começa com ela parta para os filhos também!!!

Beijos!

cris disse...

Lindo texto, parabéns.

Dany disse...

O pior é que tem mulher que acha que apanhar é normal...

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Cara amiga.

Outra violência é a forma como as mídias usam as mulheres
São reduzidas a objetos sexuais para vender cerveja, escravas em clipes de música norte americana e em alguns tipos de música brasileira, etc, etc, etc,

Mulheres não são nossas metades.
São nossas companheiras de viagem pela vida.
Únicas, inteiras e fantásticas.


Fica com os sonhos sempre.

Eraldo Paulino disse...

Eu também as vezes fico achando que estamos no século XVI. Parce que simplesmente não conseguimos avançar em certas coisas.

Belo texto. Bjs!

Dama de Cinzas disse...

Fantástico o texto!!! Assino embaixooooo!!

É sobre tudo isso que venho falando no meu blog e na minha vida! Sobre as mulheres terem um potencial enorme e mesmo assim ainda continuarem se submetendo aos homens!

Beijocas

Carla Martins disse...

Adorei seu post!!!

E, realmente, não entra na minha cabeça essa falta de dignidade de algumas mulheres. Afe!

beijinhos!

disse...

Katia realmente não dá para entender essas mulheres que são humilhadas,apanham e ficam caladas.Conheço uma pessoa que o marido a humilha de todos os jeitos,ela trabalha ganha ate bem,não sei pq ela não se separa. Gostei muito do teu post.Bjus

Emily Blyza disse...

adorei o texto, gostei do seu blog, gosto de pessoas q usam esse cantinho aqui pra falar o q pensam.
tow te seguindo. bjs
http://blyza.blogspot.com/